Hantavírus provoca a sexta morte na região de Ribeirão

O sexto caso de morte por hantavirose na região de Ribeirão Preto, neste ano, foi confirmado com a divulgação do exame laboratorial do Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo, ontem. A morte de uma moradora da zona rural, de 20 anos, de Cássia dos Coqueiros, ocorreu na semana passada e uma das causas da morte, apontada no atestado de óbito, feito em Ribeirão Preto, foi "síndrome da angústia respiratória", uma das características da doença. A hantavirose é transmitida pela inalação aérea de urina e fezes de roedores silvestres. Além do caso de Cássia dos Coqueiros, existe outro caso suspeito de morte pela doença em Franca, mas o resultado do exame no Instituto Adolfo Lutz só deverá sair durante a semana. Neste ano, as outras mortes confirmados por hantavirose ocorreram em Pontal, Santo Antônio da Alegria, São Carlos (duas) e Sertãozinho. Pelo menos dois casos confirmados tiveram sobrevivência dos paciente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.