Dida Sampaio/Estadão - 6/9/2019
Dida Sampaio/Estadão - 6/9/2019

Hang pede que empresários deem dinheiro a Olavo de Carvalho para 'continuar lutando pelo Brasil'

Dono da rede de lojas Havan disse que guru bolsonarista está sem dinheiro e que precisa de apoio financeiro

André Borges e Gustavo Porto, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2020 | 17h09

Brasília - O empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, decidiu apelar a um grupo de empresários para financiar o guru dos bolsonaristas Olavo de Carvalho.

Por meio de um grupo de Whatsapp, Hang disse aos amigos que Olavo está sem dinheiro e que precisa de apoio financeiro para que continue "lutando pelo Brasil". 

Há dez dias, Hang foi um dos alvos de busca da Polícia Federal no âmbito do inquérito das Fake News, no qual é um dos investigados.

"Temos que ajudá-lo financeiramente. Está chateado, precisa de mais ajuda para continuar lutando pelo Brasil", escreveu Luciano Hang, em mensagem enviada aos empresários.

Hang foi contestado pelos demais. Uma pessoa do grupo respondeu: "Pede para ele vir ao Brasil, então. De longe, é fácil." Uma segunda pessoas reagiu e disse: "Deve estar ficando louco." Houve ainda uma terceira pessoa que declarou: "Ele vive de criar polêmica. Em cada uma criada, ele consegue vender cursos online para incautos. Vejo como má fé."

Na madrugada deste domingo, Olavo de Carvalho gravou vídeo em que critica e insulta o presidente Jair Bolsonaro com palavrões, reclamando que está isolado e que nunca teve apoio do presidente. Carvalho também diz que está sendo cobrado por "multas" e que não tem como pagar por isso.

"Bolsonaro, o que ele fez para me defender? Bosta nenhuma!", diz Carvalho. E segue: "Chega lá, me dá uma condecoraçãozinha... enfia essa condecoração no seu cu", afirmou. "Essas multas que esses caras estão cobrando de mim, vão me arruinar totalmente. Como é que eu vou poder sobreviver aqui nos Estados Unidos sem nenhum tostão furado?", questionou.

Olavo de Carvalho tem sido alvo de ações judiciais devido a declarações e acusações feitas contra terceiros, sem apresentar nenhuma prova. O guru é tido como o principal mentor ideológico do clã Bolsonaro.

A reportagem ligou para Luciano Hang, mas não obteve retorno. O empresário também recebeu os questionamentos por meio de mensagem, mas também não se posicionou sobre suas declarações.

No vídeo que divulgou, Olavo de Carvalho afirmou que não faz nada para o defender de uma suposta milícia digital, que o presidente não é seu amigo e que ainda pode ser processado por prevaricação, já que presencia crimes e não faz nada. Em seguida, escreveu: "Os militares obedecem você ou é você que obedece a eles?"

Apesar das críticas, Olavo de Carvalho diz em seguida que continua ao lado do presidente. "Ainda estou do lado do Bolsonaro. Lutarei por ele com todas as minhas armas. Mas ele que não espere mais de mim palavras doces que só podem ajudá-lo a errar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.