Haiti quer provar que tem direito de decidir seu destino, diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, que a viagem da seleção brasileira ao Haiti não se deve apenas ao fato de o Brasil gostar de futebol. ?O Haiti precisa de uma chance haitiana. Esse povo quer provar que tem o direito de decidir o seu destino e o seu modelo de desenvolvimento", afirmou Lula, durante discurso de improviso no palácio do governo antes do início do jogo entre os dois países, durante almoço com o presidente haitiano, Boniface Alexandre. No discurso, ele disse que a seleção brasileira está com "a força máxima". "Não é porque os meninos gostam de jogar, é porque, na mente e no coração desses jovens, a solidariedade é uma palavra mágica", acrescentou. Lula disse que os jogadores do Real Madri, Ronaldo e Roberto Carlos, quando alertados sobre o perigo de jogar num estádio com grama artificial responderam que iriam participar da partida assim mesmo, porque aprenderam a jogar bola num campo de terra batida. Lula destacou que a comunidade internacional doou US$ 1 bilhão para projetos de desenvolvimento no Haiti. "O Haiti é um país irmão com o qual o Brasil compartilha uma herança africana de enorme importância para a nossa identidade nacional", afirmou Lula. "Eu disse ao presidente do Haiti que o Brasil é um país pobre em desenvolvimento, mas que tem condições de ajudar". Após o almoço com Boniface Alexandre, Lula foi para o Estádio Sylvio Cator, onde haverá o amistoso da seleção brasileira com a seleção do Haiti. As ruas próximas ao estádio estão tomadas por pessoas que usam roupas verde e amarelo da seleção brasileira. Foram postos 13.000 ingressos à venda, e milhares de pessoas não puderam entrar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.