Haddad vai a redutos e Serra, a ‘bairro volátil’

Petista escolhe a periferia para 'esquentar motores' da campanha e tucano sai em busca do eleitor que oscila entre PT e PSDB

Bruno Lupion e Bruno Boghossian, do estadão.com.br

18 de julho de 2012 | 03h06

Em sua estreia eleitoral, o candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, deu início à campanha com uma agenda cautelosa, concentrada em redutos petistas no extremo leste ou sul da capital. Já o veterano José Serra (PSDB) apostou na chamada "área volátil", na fronteira entre o centro expandido, tradicionalmente tucano, e a periferia, onde predomina o eleitorado petista.

A escolha dos bairros periféricos para esquentar os motores da campanha de Haddad foi deliberada pelo núcleo de sua equipe, em busca de uma recepção mais calorosa da população. O candidato é desconhecido pela maioria dos paulistanos e ainda se habitua ao corpo a corpo com eleitores.

"Escolhemos visitar as regiões onde ficam os maiores diretórios do PT, onde há mais mobilização e agitação", disse o deputado estadual Simão Pedro, coordenador da agenda do petista.

Na TV. Em todos os eventos públicos, Haddad é acompanhado por militantes e uma equipe de vídeo que grava imagens para o programa eleitoral gratuito, que vai ao ar a partir de 21 de agosto.

Desde o dia 6, quando teve início a campanha oficial, Haddad visitou quatro distritos eleitorais onde Dilma obteve mais votos do que Serra no segundo turno das eleições presidenciais de 2010: São Miguel Paulista e São Mateus, no extremo leste da capital, e Cidade Dutra e Campo Limpo, na zona sul. E esteve em apenas duas regiões que deram vitória ao tucano: Parque São Lucas, na zona leste, e Sé, no centro. Segundo Simão Pedro, nas próximas semanas o petista deverá visitar áreas mais centrais.

No limite. No QG tucano, a ordem para o início da campanha foi buscar novos eleitores nos distritos que oscilaram entre o PT e o PSDB nas eleições de 2008 e 2010. "Buscamos as áreas voláteis, nas quais podemos conquistar um novo eleitorado, e contemplamos diferentes regiões e segmentos da sociedade", resume o coordenador da campanha, Edson Aparecido.

Serra esteve em regiões como Ermelino Matarazzo, Jaraguá, Vila Sônia e Ipiranga, e deu prioridade a áreas beneficiadas por obras iniciadas ou concluídas quando ele esteve à frente do município e do governo do Estado. O objetivo é atrelar as imagens de obras a Serra e Kassab, comparando as realizações com as da gestão Marta Suplicy (PT).

Essa é a segunda fase da campanha tucana. Nos últimos meses, Serra havia restringido suas participações ao centro expandido, para consolidar a candidatura em regiões onde a votação dos tucanos é mais alta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.