Pedro Venceslau|Estadão
Pedro Venceslau|Estadão

Haddad parte para ofensiva contra adversários

Candidato à reeleição sobe o tom e dispara contra João Doria, Celso Russomanno e Marta Suplicy; 'O Doria acelera o quê?  Só se for de ré', disse

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

03 de setembro de 2016 | 19h22

O prefeito e candidato à reeleição Fernando Haddad (PT) partiu para a ofensiva contra seus adversários em um ato de campanha na tarde desse sábado, 3, na quadra do Sindicato dos Bancários, na região central da cidade.

O principal alvo foi o candidato do PSDB, João Doria. "O Doria acelera o quê?  Só se for de ré. O PSDB não entregou nada na cidade de São Paulo", disse o prefeito, em tom exaltado.

Haddad ironizou a proposta do tucano de alugar clínicas particulares para atender pacientes do SUS de madrugada. 

"Os golpistas estão dizendo que vão  alugar clínicas particulares das 20hs às 8hs. O pobre será atendido de madrugada. Imagine a cena: 'vó,  acorda, já são 2h30 da manhã. O Doria está chamando para fazer um ultrassom".

O prefeito disse que o projeto Doria "viola os direitos humanos".

Sobre Celso Russomanno, candidato do PRB, Haddad disse que ele "não sabe o que quer". "O Russomanno dispensa comentários. Ele vai e volta a cada dia. Ninguém sabe o que ele quer".

A senadora Marta Suplicy, candidata do PMDB, também entrou na mira. "Nossa ex-companheira, que hoje está no PMDB, se aliou ao Kassab para falar que vai voltar com a inspeção veicular".

Tesoureiro da campanha de Haddad, o deputado Paulo Teixeira (PT-SP) reforçou a artilharia. "Todo o secretariado da Marta de quando ela era prefeita hoje apoia o Haddad".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.