Haddad exalta legado à frente da pasta e elogia oposição

A um dia de deixar o cargo para se dedicar à campanha pela Prefeitura de São Paulo, o ministro da Educação, Fernando Haddad, exaltou hoje sua passagem pela pasta e chegou até a elogiar o comportamento da oposição, que teria contribuído para algumas realizações do ministério.

RAFAEL MORAES MOURA, TÂNIA MONTEIRO E ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

23 de janeiro de 2012 | 16h28

Para marcar a despedida de Haddad, o Palácio do Planalto montou uma cerimônia comemorativa à concessão de 1 milhão de bolsas concedidas pelo Programa Universidade Para Todos (ProUni). O ProUni oferece bolsas de estudo em instituições privadas de educação superior.

"Em 2004 (ano de criação do programa) não li nenhum artigo defendendo o ProUni nos jornais, nenhum, absolutamente nada. Guardada as proporções, é que nem o Enem hoje, apanha todo santo dia. Só que são essas realizações, ProUni, Reuni (programa de reestruturação e expansão das universidades federais), Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), Fies (fundo de financiamento estudantil), são essas realizações que promovem maior avanço e acesso democrático às instituições de ensino superior", discursou o ministro.

"Tudo é muito difícil de realizar e colocar de pé, mas os anos vão se passando, os programas vão se consolidando, sendo aperfeiçoados, vão mostrando os resultados. Imaginem vocês, sair de 3 milhões de matrículas e atingir 6,5 milhões de ensino superior em 2010. Nós mais que dobramos as matrículas em educação superior."

Haddad deixa o cargo nesta terça-feira para o ministro Aloizio Mercadante (Ciência e Tecnologia). Ele era ministro da Educação desde julho de 2005.

"As reformas na educação básica e na educação profissional não foram menos importantes, há um conjunto de realizações que contaram inclusive com o apoio da oposição", destacou.

Na quarta-feira passada, a presidente Dilma Rousseff participou de um evento de inauguração de uma creche em Angra dos Reis (RJ) que serviu para exaltar a imagem de Haddad, a quem chamou de "um dos grandes ministros deste país na área de educação".

Mais conteúdo sobre:
eleições 2012HaddadSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.