Haddad diz que prefeitura de SP se omite sobre violência

O pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, cobrou nesta quinta-feira mais ações do executivo municipal ao comentar a onda de violência da cidade, com ao menos 11 ônibus queimados até a madrugada desta quinta-feira e o assassinato de policiais. Haddad disse que a Prefeitura precisa se unir ao Estado e colaborar com políticas sociais.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

28 Junho 2012 | 11h41

"Temos de somar forças com o governo do Estado para superar esse momento crítico que a cidade vive. Não é a primeira vez que enfrentamos esse tipo de circunstância", disse Haddad, durante evento de apresentação de sua vice, Nádia Campeão (PCdoB). "A Prefeitura não pode se omitir como tem se omitido nessa questão", concluiu, sem citar o nome do prefeito Gilberto Kassab (PSD).

Para ele, a Prefeitura pode ainda colaborar oferecendo oportunidades de inserção social e de educação para os jovens. "A partir do momento em que a Prefeitura faz sua parte, ela diminui o ônus sobre o governo do Estado e sobre o aparato repressivo", disse. Citando como exemplo as cidades de Diadema, na Grande São Paulo, e Canoas, no Rio Grande do Sul, Haddad afirmou que quando a prefeitura assume as responsabilidades "os resultados se tornam expressivos". "Temos de ter a percepção de que a prefeitura pode e deve atuar nos territórios conflagrados", concluiu.

Mais conteúdo sobre:
Haddad Nádia violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.