Haddad adia início da campanha para sábado

Ao contrário do que disse ontem (23), o ex-ministro da Educação Fernando Haddad só irá mergulhar na pré-campanha do PT pela Prefeitura de São Paulo a partir de sábado(28), e não hoje, após sua saída do ministério. Haddad, que acompanharia amanhã (25) a presidente Dilma Rousseff na homenagem patrocinada pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), decidiu ficar em Brasília para organizar sua mudança de volta à capital paulista. Assim, o primeiro compromisso de Haddad será a reunião do Conselho Político de sua campanha no sábado (28).

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

24 de janeiro de 2012 | 19h41

O pré-candidato petista também cancelou a festa de aniversário que a militância do partido em São Paulo organizava para ficar com a família em Brasília. Amanhã (25), o petista completará 49 anos e ganharia uma festa com sabor de um lançamento de candidatura. "A festa a gente faz outro dia", disse o vereador paulistano José Américo, um dos 27 "conselheiros" de Haddad. O ex-ministro deve pegar o voo de volta para São Paulo no final da quarta-feira ou na quinta-feira. Não há compromissos agendados para sexta (27).

Haddad está na mira de Kassab, que vem mantendo conversas telefônicas com o ex-ministro na tentativa de fechar uma aliança entre PT e PSD, para a disputa. Haddad, que teria a oportunidade de estar com Kassab amanhã, não vai à entrega da medalha 25 de Janeiro à presidente Dilma Rousseff e ao governador Geraldo Alckmin. Dilma estará acompanhada da cúpula do PT paulistano.

A proposta de aliança com o partido de Kassab será o tema principal da reunião do Conselho Político de Haddad. Parte dos petistas considera incoerente formar uma chapa com quem, até agora, foi alvo de oposição. Outros consideram que a aliança com o prefeito pode aumentar as chances de vitória de Haddad.

Independente dos avanços nas negociações e do encontro que Haddad deverá ter com Kassab nos próximos dias, os petistas comemoram a presença em "tempo integral" do pré-candidato em São Paulo. Enquanto o pré-candidato do PMDB, deputado federal Gabriel Chalita, já circula pela cidade com agenda eleitoral e mantém negociações avançadas com outros partidos, Haddad seguia dividido entre o Ministério da Educação e os contatos para atrair aliados.

A partir da próxima semana, o petista deverá ter uma agenda ativa de encontros com representantes de partidos e contatos para arrecadar fundos para campanha. "A presença dele é muito requisitada mais pelas atividades de planejamento e de conversas com aliados. Essas amarrações políticas envolvem bastante o candidato", afirmou Américo.

Tudo o que sabemos sobre:
PTHaddadKassabcampanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.