"Há provas suficientes para processar Jader"

O procurador federal Paulode Tarso Bráz Lucas, da 5ª Câmara de Defesa do Patrimônio, afirmou que há provas suficientes para o Supremo Tribunal Federal(STF), com licença do Senado, processar o senador Jader Barbalho (PMDB-PA).No início da próxima semana, Bráz Lucasenviará ao procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, nota técnica sobre as apurações de desvios de recursos do Bancodo Estado do Pará (Banpará), que teria beneficiado, nos anos 80, a família Barbalho.?Eu, particularmente, acho que há elementos suficientes para propor a denúncia direta, sem precisar de inquérito?, afirmou BrázLucas.Ainda aguardando informações técnicas do Banco Central, o procurador espera apresentar na segunda-feira a conclusãodos trabalhos aos outros dois representantes da 5ª Câmara, Gilda Carvalho e Eitel Santiago Brito Pereira.Cálculos preliminares mostram que a transação de 11 cheques administrativos causaram um rombo de R$ 4,5 milhões. Jáoutros cheques, emitidos em nome de Hamilton Guedes, diretor do banco à época, chegaram a R$ 1 milhão.Além de enviar anota técnica a Brindeiro e ao Ministério Público do Pará, a 5ª Câmara irá sugerir novas frentes de investigação, especialmenteem relação à movimentação bancária de pessoas que não estariam no esquema de desvios do Banpará, mas seriam ligadasao senador Jader Barbalho.Uma ata do encontro dos procuradores será anexada à nota técnica. A ata deverá sugerir ao procurador-geral da República quepeça ao STF abertura de processo penal contra Jader.Geraldo Brindeiro é a única autoridade competente para propor açõescriminais contra deputados e senadores.Mesmo fazendo questão de mostrar rapidez nas investigações sobre Jader e sepultar a alcunha de ?engavetador-geral daRepública", Brindeiro disse na quarta-feira que não vai pular etapas, deixando claro que só tomará uma decisão após receber anota técnica.Se não entrar direto com pedido de ação, o procurador-geral irá requerer abertura de inquérito criminal - uma faseanterior à ação penal.No início da semana, Brindeiro também anunciou que irá pedir a quebra de sigilo bancário e fiscal de Jadere seus familiares a partir de 1984. A devassa daria subsídios às apurações sobre o Banpará.Para apurar a suposta venda ilegalde Títulos da Dívida Agrária (TDAs), o Ministério Público já pediu a abertura das contas relativas ao período 1988 e 1989.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.