Há mais 2 processos pela frente

Além do julgamento em plenário do processo em que é acusado de manter sociedade oculta para compra de rádios e um jornal em Alagoas, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) ainda tem outros obstáculos a enfrentar na luta pelo mandato. Pesam contra o peemedebista mais dois processos no Conselho de Ética. Um é a denúncia de que mandou um assessor espionar senadores de Goiás para, na eventualidade de encontrar irregularidade contra eles, chantageá-los para que não votassem por sua cassação nos processos de que é alvo.Outro é o suposto envolvimento em esquema de arrecadação de propina por ministérios comandados pelo PMDB, cujo relator é da tropa de choque de Renan, que já indicou sua absolvição.O senador já se livrou do processo que o acusava de ter despesas pessoais pagas por um lobista, em votação no plenário. Outra denúncia - de favorecimento à cervejaria Schincariol - foi rejeitada ainda no Conselho de Ética.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.