Gushiken é principal injustiçado no mensalão, diz Dirceu

O ex-ministro José Dirceu disse que Luiz Gushiken, que faleceu ontem, foi o principal injustiçado no caso do mensalão. Segundo o petista, Gushiken foi solidário com ele apesar de ter sido injustamente pré-julgado e condenado.

ALINE BRONZATI, Agência Estado

14 de setembro de 2013 | 15h21

"Ele (Gushiken) sempre me deu a mão, o braço e sempre me estimulou a lutar como eu lutava e dizia que a fase heróica do Partido dos Trabalhadores era o chamado mensalão, que foi talvez a maior campanha que foi feita contra um partido político no Brasil", disse Dirceu.

O ex-ministro disse que o ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil e filiado ao PT, Henrique Pizzolado, que citou Gushiken no depoimento da CPI do mensalão, não se sente culpado e que o caso foi esclarecido e, por isso mesmo ele foi inocentado. Dirceu acrescentou ainda que Gushiken deixa uma lição de luta e de coragem para os petistas, sem explicar o porquê disso.

"Foi o melhor e será sempre o melhor entre nós. Primeiro, ele (Gushiken) foi um homem feliz mesmo nos momentos mais difíceis da vida dele", afirmou Dirceu, acrescentando que fez questão de não visitá-lo mais para ficar com essa imagem retida de Gushiken.

De acordo com Dirceu, o ex-ministro Gushiken deixou uma lição de vida não só em relação à doença, mas também ao Brasil e à vida. Disse ainda que ele morreu feliz, pois viu tudo o que ele sonhou acontecer e lutou até o final por isso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.