Gushiken diz que popularidade em queda é "alerta"

O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação do Governo e Gestão Estratégica, Luiz Gushiken, disse neste sábado que os resultados negativos da pesquisa do Ibope/CNI "são um alerta" para o governo, "principalmente naquelas questões que realmente angustiam a sociedade como, por exemplo, o emprego".Por meio de sua assessoria de imprensa, Gushiken observou, no entanto, que, apesar de ter caído 12 pontos, a aprovação do governo continua elevada, com uma taxa de 54%. "Quando um assunto negativo permanece na agenda do País por muito tempo, é natural que haja oscilações em pesquisas de opinião, por mais que o governo tenha sua pauta de realizações em andamento", comentou o ministro.Gushiken não descarta a possibilidade de a pesquisa CNT/Sensus, que será divulgada na segunda-feira, também trazer queda na avaliação do governo. Os dados, disse ele, "foram coletados no período em que a percepção da crise agravou-se".A percepção de que o governo está paralisado, na avaliação do ministro, não leva em conta o conjunto de medidas que estão em andamento no Executivo e no Legislativo.Ele citou, entre elas, a liberação de R$ 1,6 bilhão para o setor de habitação, investimentos para a recuperação de rodovias, o reajuste de 20 5% no valor mínimo dos repasses do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), a liberação extraordinária de R$ 3,4 bilhões para Estados e municípios e a renegociação das dívidas do crédito educativo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.