Gushiken contrariou interesses econômicos, diz Carvalho

O secretário geral da presidência, Gilberto Carvalho, que chegou junto com a presidente Dilma Rousseff, disse que o ex-ministro Luiz Gushiken, que faleceu ontem, foi vitima de uma injustiça muito grande quando era ministro da Secretaria de Comunicação "porque contrariou interesses econômicos importantes e mudou o critério de distribuição de publicidade do governo". Ainda segundo ele, o fato de Gushiken ter sido absolvido ainda em vida foi um consolo.

ALINE BRONZATI E PEDRO VENCESLAU, Agência Estado

14 de setembro de 2013 | 15h37

Carvalho disse ainda que Gushiken foi trabalhando o elemento da morte "de uma maneira exemplar". "Ele (Gushiken) foi um dos grandes responsáveis pela estratégia que ajudou a gente a mudar o Brasil", afirmou o secretario.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, também chegou ao velório e esperou na entrada pela presidente Dilma. Em seguida, chegou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O ex-ministro Gushiken morreu na noite de ontem, 13, em São Paulo, aos 63 anos, em decorrência de um câncer contra o qual lutava há 12 anos. Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês, na região central. O velório está sendo realizado hoje, desde às 7h, no Cemitério do Redentor, na avenida dr. Arnaldo, em São Paulo. O sepultamento está marcado para as 16h no mesmo local.

Tudo o que sabemos sobre:
Luiz GushikenmortePTGilberto Carvalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.