Gurgel recomenda 'olhar cuidadoso' sobre caso Palocci

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou hoje que a acusação de que o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, teria multiplicado seu patrimônio nos últimos anos merece "um olhar mais cuidadoso".

FELIPE RECONDO, Agência Estado

17 de maio de 2011 | 15h31

O procurador disse que pediria para Palocci mais informações sobre o caso, mas diante da notícia de que partidos de oposição acionaram o Ministério Público, ele decidiu aguardar. "Estava me preparando para pedir informações para o próprio ministro-chefe da Casa Civil e para a Comissão de Ética Pública, quando fui informado. Decidi aguardar para ver os elementos que serão apresentados a mim", afirmou hoje, no intervalo da sessão do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Com base nessas informações, Gurgel pode pedir a abertura de uma investigação no Supremo Tribunal Federal (STF), já que Palocci tem foro privilegiado, ou simplesmente arquivar o assunto caso não encontre indícios de irregularidades.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.