Gurgel nega que Valério possa ser beneficiado

Para o procurador-geral da República, redução de penas só se aplicaria a processos em curso na Justiça de primeira instância

Felipe Recondo, de O Estado de S. Paulo

05 de novembro de 2012 | 18h17

ARACAJU - O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou nesta segunda-feira, 5, que o empresário Marcos Valério relatou ao Ministério Público (MP) que pode fazer novas revelações sobre o esquema do mensalão que colocarão sua vida em risco. Mas acrescentou que ele não será beneficiado por eventuais colaborações com a Justiça no processo do mensalão. Um benefício, como redução de penas, só se aplicaria para os processos que estão em curso na Justiça de primeira instância.

Valério prestou novo depoimento ao MP em setembro e fez referências ao ex-presidente Lula, ao ex-ministro Antonio Palocci e ao assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel.

Por enquanto, afirmou Roberto Gurgel, não haveria necessidade de medidas imediatas para proteger a vida de Valério. "A notícia que me foi transmitida foi de que não havia nada que justificasse uma providência imediata", disse Gurgel. "Agora, se ele viesse a fazer novas revelações, esse risco poderia se consubstanciar", confirmou o procurador.

Gurgel está em Aracaju (SE) para participar do Encontro Nacional do Poder Judiciário.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalaoMarcos ValérioGurgel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.