Gurgel decidirá se vai pedir a abertura de inquérito

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, decidirá nos próximos dias se vai pedir a abertura de um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar suspeitas de envolvimento de autoridades com irregularidades investigadas na Operação Porto Seguro. Na semana passada, o STF encaminhou a Gurgel para avaliação um documento relacionado ao caso.

MARIÂNGELA GALLUCCI, Agência Estado

03 de dezembro de 2012 | 21h05

"Sem dúvida, vamos examinar e adotar as providências que sejam necessárias", afirmou nesta segunda-feira (3) o procurador. Para ele, o fato de a operação ter investigado o ex-advogado-geral adjunto da União José Weber Holanda Alves e a ex-assessora de Presidência Rosemary Noronha mostra que "ninguém, em nenhum lugar, está a salvo do sistema de Justiça".

Na semana passada, o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), confirmou que recebeu documentos da Justiça Federal em São Paulo sobre a operação policial e disse que há informações sobre o deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP), já condenado no julgamento do processo do mensalão.

"Fiz uma leitura rápida, por cima, não fiz uma leitura aprofundada dos documentos. Mas o que aparece nos documentos são aquelas conversas que vocês já sabem, envolvendo o deputado", disse na ocasião Maia a jornalistas. Deputados somente podem ser investigados perante o STF. Isso ocorre porque no Brasil as autoridades têm direito ao chamado foro privilegiado.

Tudo o que sabemos sobre:
PFOPERAÇÃO PORTO SEGUROGurgel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.