Levante Popular da Juventude
Levante Popular da Juventude

Guitarrista do 'Rage Against The Machine' protesta contra governo Temer no Facebook

Foto do músico com um boné do MST e segurando uma placa com os dizeres 'não ao golpe no Brasil' foi postada na página do movimento Levante Popular da Juventude

Alessandra Azevedo e Alexandre Novais Garcia, especiais para O Estado, O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2016 | 19h09

O guitarrista da banda de rock norte-americana Rage Against The Machine aderiu às manifestações contrárias ao impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff e ao governo do presidente em exercício Michel Temer. O movimento Levante Popular da Juventude (LPJ) publicou em sua página no Facebook nesta terça-feira, 17, uma foto de um dos militantes do LPJ com o músicoque vestia um boné do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e segurava uma placa com os dizeres : “No to the coup in Brazil” (não ao golpe no Brasil).

Na última sexta-feira, 13, a organização popular divulgou nota em que diz não reconhecer Michel Temer como presidente do Brasil. “O processo que o colocou, hoje, nessa posição se construiu com base em um Golpe de Estado, com manobras articuladas por setores do judiciário, da grande mídia e do parlamento”, afirmava o texto.

Precedentes. Não foi a primeira vez que Tom Morello vestiu o boné do MST. Em outubro de 2010, durante um show em Itu, no interior de São Paulo, ele fez questão de dedicar uma música “aos amigos” do movimento social. Na época, ele também tirou fotos segurando a bandeira do MST.

Repercussão.Na foto postada na página do movimento, os internautas divergiram a respeito da publicação. "Guitarrista de onde mesmo? Tom Morello? Ele é petista também? Boné do MST! Ele sabe a diferença de um pé de cebola e um pé de alface?", criticou um deles.

Houve também elogios ao ato do guitarrista. "Para amarmos ainda mais Rage Against The Machine", ressalta um dos comentários. "Que homem", "perfeito", "salve o rock revolucionário", declaram outros. Até a publicação desta matéria a imagem tinha mais de 1,8 mil curtidas e 1,1 mil compartilhamentos.

A repercussão chegou até aos perfis das redes sociais da banda e do guitarrista. Em um dos comentários na página de Tom Morello no Facebook, ele foi chamado de “retardado” por apoiar “políticos que roubaram o Brasil”. “Foi ridículo vê-lo apoiar esses ladrões”, desabafou uma fã. Outros, no entanto, postaram mensagens para agradecê-lo, com comentários como “Tom Morello, obrigada pela solidariedade” e “obrigado por apoiar a democracia contra o golpe no Brasil”.

Nesta segunda-feira integrantes do longa-metragem brasileiro 'Aquarius' também levantaram cartazes para denunciar o “golpe” em curso no Brasil, no tapete vermelho do festival de Cannes, na França.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.