Guerra diz que impasse com DEM pode 'comprometer' campanha de Serra

Aliados aprovaram a escolha, mas DEM se rebelou e agora pressiona para indicar nome

Carolina Freitas, Agência Estado

28 de junho de 2010 | 12h15

O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), disse nesta segunda-feira, 28, que o impasse em torno da definição do vice na chapa tucana pode comprometer a eleição do candidato à Presidência pelo partido, José Serra. "Temo que nós tenhamos, nesse episódio, atuado para comprometer a nossa vitória", afirmou Guerra em entrevista à Rádio CBN.

O PSDB indicou na sexta-feira o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) para a vaga de vice na chapa encabeçada por Serra. Os aliados PPS e PTB aprovaram a escolha, mas o DEM se rebelou e agora pressiona para indicar um quadro do partido.

Guerra disse ver "exagero" na reação do presidente nacional do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ). "Nós já votamos com o Democratas e os Democratas já votam conosco há muitos anos. Não é esse o problema. O problema é de ter unidade, tranquilidade e uma noção construtiva da luta que nós enfrentamos."

Em uma tentativa de melhorar a relação com o DEM, Guerra colocou a indicação de Dias como "sugestão" e não "anúncio", mas defendeu o senador. "Alvaro Dias é uma liderança de qualidade, um dos senadores mais bem aprovados do Brasil, um excelente candidato a vice-presidente. Significaria a consolidação de uma vitória grande que nós esperamos ter no Sul do País e no Paraná." Guerra está em São Paulo e vai procurar Rodrigo Maia para conversar sobre o vice.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçãoSerraGuerraDEM

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.