Guerra defende afastamento de envolvidos com grampo

O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), defendeu hoje o afastamento de todos os suspeitos envolvidos no episódio da suposta escuta telefônica ilegal envolvendo o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, e o senador Demóstenes Torres (DEM-GO). "Mais uma vez, é uma crise criada dentro do próprio governo", afirmou.Segundo ele, "nem medidas nem suspensões temporárias resolvem". Ele refere-se a uma especulação que circula no Congresso de que o diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Paulo Lacerda, poderia ser afastado do cargo até a conclusão das investigações. "O governo deve punir. A anarquia chegou ao limite. É preciso fazer uma limpeza geral com o afastamento de todos os suspeitos."Sergio Guerra confirmou para quarta-feira a reunião da executiva do PSDB, quando será analisado o episódio do grampo que captou conversas entre Gilmar Mendes e Demóstenes Torres, em julho, segundo a edição desta semana da revista Veja.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.