Guerra chama de 'escândalo' aprovação de sigilo para obras da Copa

Para presidente do PSDB, iniciativa é uma "afronta" à transparência e ao interesse público

Gustavo Uribe, da Agência Estado

17 de junho de 2011 | 17h33

O presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, em nota divulgada nesta sexta-feira, 17, qualificou como um "escândalo" a aprovação do Regime Diferenciado de Contratações (RDC), que flexibiliza as normas de licitações para obras de infraestrutura para a Copa do Mundo de 2014 e para os Jogos Olímpicos de 2016, na quarta-feira, 15, pela Câmara dos Deputados. A iniciativa, na avaliação do tucano, é uma "afronta" à transparência e ao interesse público.

Em evento, promovido nesta sexta-feira em São Paulo, a presidente Dilma Rousseff defendeu o regime de contratação especial. "A aprovação do RDC é um escândalo que coloca o Brasil ao lado de países que não prezam o dinheiro dos contribuintes", avaliou o dirigente do PSDB.

O tucano ressaltou, na nota, que o PSDB irá se posicionar contra a proposta no Senado e acusou a atual gestão de querer apressar "a qualquer custo" as obras para os eventos esportivos. "Preocupa-nos o apreço que os governos petistas têm pelo sigilo de informações indispensáveis a um governo republicano", escreveu. "Incompetente na gestão, o PT agora quer apressar as obras da Copa do Mundo e das Olimpíadas a qualquer custo. Custos que poderão ser um assalto ao bolso do contribuinte brasileiro", ressaltou.

Tudo o que sabemos sobre:
obrasCopaorçamentosigiloPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.