Foto: Dida Sampaio|Estadão
Foto: Dida Sampaio|Estadão

'Guerra ao banditismo' e Previdência são prioridades do governo, diz Marun

'Ao tempo em que continuamos buscando os votos para a necessária aprovação da reforma da Previdência, iniciamos uma luta sem tréguas contra os facínoras', afirmou o ministro da Secretaria de Governo

Carla Araújo, O Estado de S.Paulo

16 Fevereiro 2018 | 18h46

BRASÍLIA - Apontado como o mais otimista no governo e também um dos integrantes da “tropa de choque” de defesa do governo do presidente Michel Temer, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, divulgou mais uma nota na tarde desta sexta-feira, 16, para tentar minimizar o entendimento de que com o decreto da intervenção na segurança do Rio o governo desistiu da aprovação da reforma da previdência

+ PT diz que vai votar contra o decreto de intervenção no Rio

“Declaramos guerra ao banditismo. Ao tempo em que continuamos buscando os votos para a necessária aprovação da Reforma da Previdência, iniciamos uma luta sem tréguas contra os facínoras que nos humilham, ousam controlar nossos presídios, nossas fronteiras e parte do nosso território e, além disto, nos matam”, escreveu. “O governo tem duas prioridades e eu tenho fé de que seremos vitoriosos em ambas”, completou o ministro.

+ Perguntas e respostas: como fica a reforma da Previdência?

O governo ainda não tinha os 308 votos necessários para a aprovação da reforma da previdência e a expectativa era de que a discussão da matéria começasse na semana que vem na Câmara. Com o decreto de intervenção na segurança do Rio, assinado hoje pelo presidente Michel Temer, e já protocolado na Câmara, no entanto, a matéria já foi retirada de pauta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.