REUTERS/Adriano Machado
REUTERS/Adriano Machado

Guedes ainda não foi notificado pelo TCU sobre Coaf, diz assessoria do Ministério da Economia

Paulo Guedes deve esclarecer se Coaf está ou não investigando possíveis movimentações financeiras atípicas do jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil

Luci Ribeiro e Adriana Fernandes, O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2019 | 14h31

BRASÍLIA - O Ministério da Economia informou neste domingo, 7, por meio de sua assessoria, que somente depois de ser notificado é que o ministro Paulo Guedes responderá ao Tribunal de Contas da União (TCU) se o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) está ou não investigando possíveis movimentações financeiras atípicas do jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil, responsável pela divulgação de supostas trocas de mensagens por celular entre Sergio Moro, então juiz da Lava Jato, e procuradores da operação.

Na sexta-feira à noite, o ministro do TCU Bruno Dantas deu um prazo de 24 horas para que Guedes esclareça o assunto ao tribunal. No entanto, esse prazo só deve começar a correr nesta segunda-feira. Como Guedes é ministro de Estado, quem subscreve o expediente é o presidente do TCU, José Mucio Monteiro, e, segundo antecipou o Estado com fontes, Mucio deve encaminhar o pedido a Guedes somente amanhã (8). 

"Nós teremos prazo para responder após a notificação. A informação que temos é que ainda não houve expedição da notificação", disse a assessoria da pasta na tarde deste domingo. 

O despacho de Bruno Dantas foi motivado por representação proposta pelo subprocurador-Geral do Ministério Público de Contas (MP/TCU), Lucas Rocha Furtado. O entendimento da representação é de que a suposta investigação teria como motivação intimidar o jornalista, mediante perseguição e abuso de poder, resultando em mau uso de recursos públicos. O despacho do ministro Bruno Dantas também dá 24 horas para que o presidente do Coaf, Roberto Leonel de Oliveira Lima, se manifeste.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.