Guarulhos vive disputa das mais acirradas de sua história

Segundo maior colégio eleitoral do Estado com 746.302 votantes, Guarulhos escolhe seu prefeito hoje, ao fim de uma das mais disputadas eleições dos últimos anos na cidade. Estão no páreo de um lado o candidato do PT, deputado estadual Sebastião Almeida, e do outro o empresário e ex-vereador Carlos Roberto, concorrente do PSDB. Não sem motivo, há um interesse nacional na disputa, já que a cidade, administrada há duas gestões pelo petista Elói Pietá, é considerada estratégica para as pretensões dos dois partidos rivais.Os principais pesos-pesados das duas legendas, entre os quais o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o governador José Serra (PSDB) passaram pela cidade, em uma mobilização pouco comum na conturbada história política do município.Almeida esperava ganhar no primeiro turno, ancorado na popularidade de Pietá, mas ficou com pouco mais de 47% dos votos ante 23,41% do adversário, em uma virada surpreendente do tucano diante do candidato do PV, Jovino Cândido, que aparecia em segundo nas pesquisas. Apesar da diferença, no entanto, a batalha promete ser dura.CORDÃONos bastidores, Lula tem feito um enorme esforço pela hegemonia do PT em Guarulhos e nas cidades do ABC paulista, de forma a criar uma espécie de "cordão petista" em torno da capital. Serra, por sua vez, não pretende abrir mão da segunda maior cidade do Estado.Não sem razão, a disputa polarizada entre Almeida, parlamentar ligado à área ambiental com passado de sindicalista, e Roberto, empresário bem-sucedido da área de plásticos, é mais uma oportunidade para teste de forças entre os aliados de Lula e os de Serra, numa preparação do cenário para as eleições presidenciais de 2010.GASTOSOs partidos e seus candidatos investiram alto na disputa deste ano. O tucano declarou gastos de cerca de R$ 6 milhões - a maior parte do próprio bolso - para sustentar um verdadeiro exército de cabos eleitorais. Já a campanha do petista calculou em R$ 9 milhões as despesas nas eleições, o que a torna uma das mais caras de todo o País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.