Márcio Fernandes/Estadão
Márcio Fernandes/Estadão

Grupos “anti-Dilma” anunciam volta às ruas para defender Lava Jato

Data foi divulgada no mesmo dia que o presidente Michel Temer prometeu afastar temporariamente ministros denunciados

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

13 de fevereiro de 2017 | 15h52

SÃO PAULO - Os grupos que organizaram as manifestações de rua em defesa do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff anunciaram nesta segunda-feira, 13, que voltarão às ruas no dia 26 de março para defender a Operação Lava-Jato.

A data foi divulgada no mesmo dia que o presidente Michel Temer prometeu afastar temporariamente ministros denunciados e em caráter definitivo aqueles que virarem réus.

O ato acontecerá na Avenida Paulista, em São Paulo, mas vai ter, segundo os grupos, ramificações em todos os estados. “Pediremos celeridade nas reformas e daremos uma demonstração de apoio à Lava Jato. Há uma percepção do Congresso que as ruas esfriaram”, disse Kim Kataguiri, líder do MBL.

Um documento assinado por sete grupos, como Nas Ruas, Revoltados Online e Endireita Brasil, adotou o mote “Brasil sem partido” e um tom duro contra a gestão Temer.

“Não queremos um STF que se dobre às vontades deste ou de qualquer outro governo, agindo com lentidão para salvar os que têm Foro Privilegiado, utilizando-se dele para escapar da justiça”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.