Grupo usa dados do governo para cobrar transparência

Enquanto o governo federal promovia um seminário sobre formas de abrir seus dados ao público, na última semana, um grupo de hackers passava da teoria à prática e usava a internet para ampliar o controle dos cidadãos sobre o Estado. Congregados na organização Transparência Hacker, cerca de 20 especialistas - todos voluntários - participaram de uma "maratona" de programação paralela ao seminário Dados Abertos para a Democracia Digital, evento internacional realizado entre quarta e sexta-feira, em Brasília.

AE, Agência Estado

16 de maio de 2011 | 11h20

Do esforço conjunto saíram iniciativas para facilitar a compreensão e o acompanhamento da tramitação de projetos no Congresso e para expor as relações entre empresas e políticos, entre outras. "Somos ativistas pela transparência, pelos dados abertos e por novas formas de fazer política", disse Daniela Silva, uma das coordenadoras da entidade, à qual cerca de 500 pessoas estão ligadas.

Um dos sites que o grupo criou nos últimos dias é o "Otoridades - Você sabe com quem está falando?", um veículo para denúncias de abuso de autoridade, que fica no endereço http://otoridades.com.br.

Diego Casaes, também militante da organização, enumerou outros projetos em fase de implementação, como o Cheque URL. Trata-se de um sistema no qual podem ser inseridos os links de notícias sobre as 700 maiores empresas do Brasil e verificar para quem elas fizeram doações em campanhas eleitorais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
hackersgovernocontastransparência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.