Grupo protesta durante discurso de Dilma e acaba expulso

Um grupo com dez estudantes de medicina que protestavam contra o programa Mais Médicos, do governo federal, durante o discurso da presidente e candidata a reeleição Dilma Rousseff em Uberaba (MG), foi expulso por militantes do PT.

RICARDO GALHARDO E GUSTAVO PORTO, ENVIADOS ESPECIAIS, Estadão Conteúdo

22 de outubro de 2014 | 12h48

Os estudantes, com bandeiras e adesivos do candidato tucano Aécio Neves, gritavam palavra de ordem como "Ei, Dilma, vai tratar no SUS", em frente à praça Zumbi dos Palmares, onde cerca de mil pessoas se aglomeravam para ouvir a presidente.

Quando o protesto começou a chamar a atenção de políticos que acompanhavam Dilma, a campanha da candidata posicionou um carro de som em frente aos estudantes. Ao tentarem se reposicionar, os manifestantes foram cercados por militantes petistas e obrigados a recuar enquanto ouviam gritos de "fascistas" e "coxinhas". Alguns petistas se exaltaram, mas foram contidos. Apesar das hostilidades, não houve agressões.

Durante o comício, outro grupo, do Sindicato dos Trabalhadores de Saúde de Uberaba, ligado à Força Sindical, aproveitou a presença da presidente para protestar contra a terceirização dos serviços no Hospital de Clínicas da cidade, mantido pelo governo federal. Não houve conflito.

O clima na região central de Uberaba já estava tenso desde o início da manhã, quando apoiadores com material de campanha dos dois candidatos dividiam a calçada da rua Arthur Machado, de onde partiu a comitiva de Dilma - que percorreu cerca de 500 metros até a praça onde foi feito o comício. Após algumas trocas de insultos, os apoiadores de Aécio se dispersaram.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesMinas GeraisDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.