Grupo nega ter fechado acordo ou repassado dinheiro

A J&F informou, por sua assessoria de imprensa, que o ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa procurou a empresa em 2012 para vender a Astromarítima. Segundo a J&F, Costa foi recebido pelo executivo Humberto Junqueira de Farias, mas não houve interesse no negócio nem assinatura de qualquer contrato.

O Estado de S.Paulo

06 de janeiro de 2015 | 02h05

Nas anotações do ex-diretor da Petrobrás havia ainda um registro sobre outro negócio da J&F que estava em andamento em 2012: a tentativa de compra do Grupo Rede Energia. "Nunca foi assinado um documento com o Paulo Roberto. A (negociação da) Rede Energia nunca passou por ele", enfatizou a assessoria da J&F. "Isso é um absurdo."

Em conversa reservada, um executivo da J&F atribui o porcentual que aparece na planilha de Costa ao quanto ele buscava receber de comissionamento na intermediação de compra da Astromarítima - e não valor que supostamente voltaria para o grupo. Em abril, a Astromarítima informou que Costa tentou levar a J&F para investir na empresa. Confirmou pré-contrato de "intermediação de negócios" com o ex-diretor e que ele receberia, se feito o negócio, 5% de comissão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.