Grupo Estado inicia projeto de TV

Decreto do Presidente da República publicado no Diário Oficial da União transfere para a Rádio Eldorado, empresa do Grupo Estado, a concessão de um canal gerador de televisão, o canal 10 da TV Maranhão Central, uma empresa em operação há mais de dez anos. O processo de transferência passou pela aprovação prévia do Ministério das Comunicações. O decreto é datado do dia 6 e foi publicado no dia 7, sexta-feira passada.A TV Eldorado Santa Inês, como passará a ser chamado o Canal 10, terá uma nova programação, mesclando produção local com a grade de programação da TV Cultura de São Paulo, da qual será afiliada.A TV Eldorado está instalada na cidade de Santa Inês, com 80 mil habitantes, localizada na parte central do Estado do Maranhão, a cerca de 250 quilômetros da capital, São Luiz. A concessão abrange uma área de cobertura que engloba outras 19 cidades, com uma população estimada de 570 mil habitantes. A compra da geradora é o ponto de partida de uma futura rede nacional de televisão que será constituída por meio de novas concessões, parcerias, alianças e aquisições nas principais cidades brasileiras, com recursos próprios e de terceiros. Quase uma dezena de diferentes oportunidades vinham sendo analisadas desde meados do ano passado em diferentes Estados brasileiros.Convergência das MídiasNa opinião de Francisco Mesquita Neto, Diretor-Superintendente do Grupo Estado, a nova legislação que vem sendo discutida no Congresso Nacional abrirá certamente novas oportunidades ao setor de comunicações. ?A nova legislação permitirá que pessoas jurídicas participem dos meios de comunicação além de abrir possibilidades para eventuais investimentos estrangeiros no setor. É o caminho natural para a convergência das mídias, cujo potencial o mercado já visualiza de forma bastante otimista?, conclui. E é neste contexto ? complementa ? ?que incorporar uma rede de televisão aos negócios atuais nos parece ser estrategicamente interessante?.?O ingresso do Grupo Estado no segmento televisivo atende a uma antiga aspiração estratégica com vistas a buscar na convergência das mídias uma melhor eficácia no fornecimento de informação de interesse público à população brasileira?, afirma Francisco Mesquita Neto. ?Atende também a exigências do próprio mercado, uma vez que os anunciantes passam a ser beneficiados com maior diversidade de veículos de comunicação para a disseminação de seus anúncios, numa sinergia benéfica a todos?. A TV Eldorado Santa Inês, no Maranhão, é o ?passo inicial de um processo?, afirma Francisco Mesquita, para quem o fato de o Grupo Estado somente agora entrar no segmento de televisão se deve a um sistema regulatório ?que caminha cada vez mais para processos objetivos, transparentes e melhor supervisionados pela sociedade?.Quanto ao futuro conteúdo da rede de televisão Francisco Mesquita esclarece que ?embora naturalmente isso não esteja definido, certamente um dos focos será o da informação e uma programação que efetivamente agregará educação e cultura além de entretenimento à população brasileira?.PrioridadesA intenção, segundo Francisco Mesquita, é a de constituir a rede nacional em dois anos, um prazo ?que parece bastante razoável?. As prioridades, segundo ele, serão definidas naturalmente pelos mercados mais interessantes, pelas oportunidades que forem surgindo; entre elas as concessões, futuras aquisições, alianças e parcerias. ?Estaremos atentos às concessões, pois elas poderão orientar o direcionamento da rede no seu início?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.