Grupo contrário à desocupação fecha pontes e isola centro do conflito em RR

Os manifestantes contrários à desocupação da terra indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, isolaram completamente a vila Surumu, a 120 quilômetros da capital Boa Vista. Anteontem, o grupo liderado pelo rizicultor Paulo César Quartiero fez uma cratera na cabeceira da ponte sobre o Rio Surumu, usando uma retroescavadeira, o que impossibilitou o tráfego de veículos. O outro acesso já estava bloqueado, depois que a ponte sobre o Rio Araçá foi incendiada. A Polícia Federal garantiu que o isolamento de Surumu, epicentro do conflito, não compromete a execução da operação de retirada dos invasores. Agentes da PF têm monitorado cada passo dos manifestantes com escutas em telefones e em aparelhos de radiocomunicação utilizados dentro e fora da terra indígena. Para finalizar os detalhes da retirada, chega hoje a Boa Vista o delegado Fernando Segóvia, que coordena a operação. Até o fim da semana o restante dos policiais desembarcará, completando o efetivo de 500 homens. Eles terão à disposição cem veículos e três helicópteros - um com artilharia pesada.A batalha pela terra também ocorre em Brasília, onde um grupo de produtores aguarda decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a suspensão da operação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.