'Grito' faz manifestação na periferia de Curitiba

Diferentemente de outros anos, quando integrantes dos movimentos sociais eram os últimos a entrar na Avenida Cândido de Abreu, onde são realizados os desfiles cívico-militares em Curitiba, os organizadores do 13º Grito dos Excluídos preferiram, desta vez, a periferia de Curitiba. O ato, do qual participaram cerca de 700 pessoas, segundo os manifestantes, foi realizado na reserva indígena Cambuí, na divisa com São José dos Pinhais. Antes, eles fizeram uma caminhada passando por algumas áreas de ocupações irregulares, às margens do Rio Iguaçu.O objetivo dos organizadores era chamar a atenção para a situação dos moradores. "Não pode haver independência enquanto houver tantos marginalizados", justificou Waldemar Simão Júnior, da Coordenação dos Movimentos Sociais. Panfletos foram distribuídos à população e assinaturas colhidas buscando a anulação da privatização da Companhia Vale do Rio Doce. Somente na reserva indígena vivem cerca de 150 pessoas das etnias guarani e kaingang. Nas áreas de ocupação estão outras 2 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.