Grevistas da PF protestam na chegada de Kirchner

Funcionários da Polícia Federal em greve aproveitaram a chegada do presidente argentino Néstor Kirchner, na noite desta segunda-feira, no Rio de Janeiro, para protestar contra o governo federal. Eles reivindicam vencimento básico de nível superior, gratificação de risco de vida, pagamento antecipado de diárias e melhores condições de trabalho. Antes de Kirchner entrar no hotel ele ouviu os grevistas gritarem "queremos trabalhar, queremos trabalhar".O presidente argentino jantará logo mais com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na terça-feira, as delegações dos dois países deverão divulgar um documento sobre as negociações com os organismos multilaterais de financiamento, como o FMI. O presidente argentino está acompanhado dos ministros de Economia, Roberto Lavagna, e de Relações Exteriores, Rafael Bielsa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.