Grevistas apedrejam caminhões no RS

A greve dos caminhoneiros no Rio Grande do Sul ficou fora de controle na manhã de hoje. Em Três Cachoeiras, perto da divisa com Santa Catarina, os grevistas partiram para a agressão aos colegas que não se integraram ao movimento. Segundo dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), pelos menos 18 caminhões foram apedrejados quando tentavam furar o bloqueio dos grevistas na BR-101, onde estão concentrados a maioria dos 300 filiados ao Sindicato local. Uma das vítimas da violência foi Walmor Weber, que saiu de Novo Hamburgo com destino a Sombrio, em Santa Catarina. Ele teve seu olho direito ferido por uma pedra que destruiu o pára-brisa de seu caminhão: "Quando eu vi, a pedra estava batendo em meu rosto. Fiquei meio tonto e só cheguei a um posto de gasolina ajudado por outros companheiros e pelos patrulheiros rodoviários, que me levaram a posto de saúde em Torres". A mesma coisa aconteceu com Lázaro Augusto Marques, que ia de Porto Alegre para São Paulo. A pedra que destruiu totalmente o vidro dianteiro de seu caminhão atingiu o seu peito: "Levei um grande susto. Felizmente consegui manter o controle da direção. Acho que isso não é greve. É vandalismo", disse, criticando seu colegas de Três Cachoeiras.O presidente do sindicato local, Nestor Behnck, confessa que a greve fugiu ao controle da entidade: "Ainda ontem conseguimos manter o pessoal com calma. Hoje o pessoal resolveu bagunçar. Infelizmente não conseguimos controlá-los", queixou-se Behnck. Na Região Noroeste do Estado, a adesão à greve é quase total. Em Ijuí, 95% dos motoristas estão parados. Existe um bloqueio na BR-285 onde só é permitida a passagem de caminhões com produtos perecíveis. Em Cruz Alta, na BR-158, os caminhoneiros terão o reforço dos agricultores do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Cerca de 800 famílias estão acampadas nesta rodovia e também na BR-377.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.