Greve no Judiciário paulista continua

Funcionários do Poder Judiciário decidiram continuar em greve, em assembléia realizada hoje no centro de São Paulo. Ficou definido que os servidores, que estão em greve há 66 dias, permanecerão parados até pelo menos a próxima quarta-feira, quando eles se reunirão novamente em assembléia, na Praça João Mendes, para, então, decidir os rumos do movimento.Algumas lideranças acreditam que na próxima semana o movimento pode acabar. Isso porque hoje houve uma rodada de negociações com o presidente do Tribunal de Justiça e foi feita uma outra proposta. O Judiciário ofereceu uma gratificação extraordinária a partir de 1º de novembro para ativos e inativos, com os pagamentos a partir de janeiro de 2002. Também se propôs a não descontar os dias parados, que serão repostos e ainda propôs uma redução do horário de atendimento ao público, para a realização de um mutirão interno, por um período de 15 dias, para tentar colocar a casa em ordem depois de todo esse tempo de paralisação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.