Greve na Previdência continua

Em greve há quase três meses, os servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) rejeitaram na noite desta quinta-feira proposta do governo de reajuste salarial por meio de uma gratificação por desempenho, que está prevista no projeto do plano de carreira da categoria. Durante reunião no Ministério da Previdência, representantes do governo e sindicalistas só entraram em consenso em relação ao aumento de 9,5% do salário na tabela.Os líderes dos grevistas, porém, não aceitam encerrar a greve se o porcentual da nova gratificação for diferente para trabalhadores na ativa e aposentados. O Ministério do Planejamento não concorda com aumentos lineares aos 34 mil funcionários.Nas contas do governo, a nova gratificação representará uma despesa extra de R$ 186 milhões no próximo ano, possibilitando reajuste médio de 31%. ?O impasse continua, pois queremos porcentual igual para todos?, disse o sindicalista Vladimir Nepomuceno, da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Seguridade Social (CNTSS).Na próxima semana, os sindicalistas voltam a se reunir com representantes do Ministério da Previdência para discutir o fim da paralisação dos servidores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.