Marcio Fernandes/ Agência Estado
Marcio Fernandes/ Agência Estado

Greve dos caminhoneiros já ameaça abastecimento de gás de cozinha em Minas Gerais

Segundo o presidente da Associação Brasileira dos Revendedores de GLP, outros combustíveis também poderão faltar

Denise Luna, O Estado de S.Paulo

09 de setembro de 2021 | 11h30

A partir da tarde desta quinta-feira, o mercado de gás de cozinha em Minas Gerais já deverá mostrar sinais de falta de abastecimento por causa da paralisação dos caminhoneiros, informou o presidente da Associação Brasileira dos Revendedores de GLP (Asmirg), Alexandre Borjaili, que vem recebendo informes de possível falta do produto também em outros Estados.

"Temos informações que, em várias regiões do Brasil, já começam a registrar crise no abastecimento", disse Borjaili sobre o movimento de apoio da categoria ao presidente Jair Bolsonaro que incluía protestos e bloqueios em estradas de 14 Estados do País até o final da manhã.

Segundo Borjaili, outros combustíveis também poderão faltar, e é urgente que o governo tome alguma medida para que a situação não se agrave.

"É um absurdo o que o governo vem fazendo com sua omissão. Cortar o abastecimento é colocar vidas em risco", afirmou em áudio enviado ao Estadão/Broadcast.

Ele destacou que as polícias civil e militar devem ser convocadas para liberar as estradas ou, em breve, começará a faltar também alimentos, a exemplo do que ocorreu em 2018.

Entre as pautas da paralisação dos caminhoneiros está o pedido de saída de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), conforme solicitado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.