Greve do Judiciário é "erro grave", diz Thomaz Bastos

O ministro da Justiça. Márcio Thomaz Bastos, classificou de "erro grave" a paralisação do Judiciário, em protesto contra a reforma da Previdência, marcada para agosto. "Não acredito que juiz possa fazer greve legitimamente e isso o Supremo Tribunal Federal já disse. Mas acredito também que ainda haja um espaço a ser percorrido e o consenso ser encontrado", comentou, ao participar da solenidade de adesão do governo baiano no Sistema Unificado de Segurança Pública (Susp).Bastos acha que o governo já "chegou no seu limite cessão" nas negociações da reforma, e não vai ceder mais. Ele chamou de "radicais" os juízes que defendem a greve. "Com todo o respeito que se tem pelo Poder Judiciário, os juízes não podem fazer greve, até porque quem vai julgar a legalidade da greve é ele mesmo", disse, explicando que essa é exatamente a diferença entre a carreira normal e a de Estado. "Eu não posso fazer greve como ministro da Justiça, o presidente Lula também. Da mesma maneira, os juízes não podem e não devem fazer greve".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.