Greve deixa 1,5 milhão de alunos sem aulas na BA

Mais de um milhão e quinhentos mil alunos da rede pública dos 417 municípios baianos completam amanhã uma semana sem aulas em conseqüência da greve dos professores do Estado. Promovida pela Associação dos Professores Licenciados da Bahia (APLB), a paralisação tem o objetivo de pressionar o governo baiano a enviar o mais rápido possível, para aprovação na Assembléia Legislativa, o Projeto de Lei do Estatuto e o Plano de Salários e Carreira da categoria.Na manhã de hoje, os professores se reuniram no ginásio do Sindicato dos Bancários e decidiram continuar a greve, marcando para amanhã uma visita à Assembléia Legislativa para pedir ajuda aos deputados estaduais. Conforme Rui Oliveira, coordenador da APLB, a aprovação do Plano de Salários representará um aumento de 71% para a categoria, permitindo que o piso do nível 1 seja fixado em R$ 315. Segundo o comando da greve cerca de 90% dos 60 mil professores do Estado aderiram ao movimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.