Greve: 1 milhão de caminhoneiros devem aderir

O presidente da Movimento União Brasil Caminhoneiro, Nélio Botelho, disse que mais de um milhão de caminhoneiros vão aderir à greve marcada para o próximo dia 29. Segundo ele, a reunião que o ministro dos Transportes, Eliseu Padilha, fará amanhã em Brasília, sem participação do Movimento, vai elevar o número de adesões à paralisação.Botelho afirmou que está orientando os caminhoneiros a não contratarem novas cargas para carregamento a partir de amanhã. Para o dia 29, a orientação é para que os caminhões fiquem parados nos acostamentos das rodovias ou postos de gasolina, "para não atrapalhar o trânsito".Não será possível evitar, segundo Botelho, os problemas que serão gerados para o abastecimento de diversos produtos no País, inclusive alimentos e medicamentos. "O governo conduziu o País a uma dependência rodoviária, abandonando o setor", disse, acrescentando que "os problemas não serão causados por nós, mas pelo governo que criou essa situação".Os caminhoneiros reivindicam especialmente redução do valor do pedágio e maior segurança nas estradas. O movimento contabiliza uma paralisação de sucesso em 99, mas também um fracasso na greve do ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.