Gregori nega ida de Beira-Mar para os EUA

O ministro da Justiça, José Gregori, disse que enquanto o traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, preso neste fim de semana na Colômbia, "não acertar as contas com a Justiça brasileira, o pedido de qualquer país a respeito da entrega dele não se justifica". A afirmação foi uma resposta à informação de que os EUA teriam manifestado interesse na extradição do criminoso para território americano por causa de sua atuação na Colômbia, uma das maiores bases de exportação de drogas para os EUA."Não chegou nenhum dado oficial ou oficioso sobre isso. Ele é um criminoso brasileiro e, por isso, a hipótese (da extradição para os EUA) é sem propósito", afirmou Gregori. O ministro preferiu não fazer previsão sobre a chegada de Beira-Mar ao País. "É difícil precisar dia e hora, mas se for por expulsão, será muito mais rápido do que por extradição". Segundo Gregori, o pedido de extradição já está sendo processado, mas surgiu a possibilidade de o governo colombiano abreviar o tempo de liberação do traficante, via deportação ou expulsão. A decisão sobre onde Beira-Mar ficará será tomada quando ele chegar ao País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.