Gregori diz que foi pressionado a encontrar terroristas

O ministro da Justiça, José Gregori, que está deixando o cargo para ocupar a embaixada do Brasil em Portugal, revelou hoje que foi pressionado a encontrar terroristas no País. "Eu sofri nos meus últimos dias no Ministério a pressão de vários setores, internos e externos, que queriam porque queriam que eu achasse um terrorista no Brasil", disse.Segundo ele, não há registro de terroristas de fundo fanático ou religioso no território nacional. A declaração de Gregori foi durante a posse dos representantes do Conselho Nacional de Combate à Discriminação, ligado ao Ministério, que vai propor ações públicas de apoio a negros, índios, mulheres e homossexuais.Leia o especial

Agencia Estado,

13 de novembro de 2001 | 15h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.