Gregori critica posição de empresários sobre energia

O ministro da Justiça, José Gregori, afirmou há pouco que não há razão para o clima de pré-desespero em relação ao racionamento de energia, que será implementado no Brasil, a partir de junho. O ministro criticou os dirigentes de indústrias que estão anunciando a possibilidade de demissão de funcionários, por causa do racionamento. Gregori citou reportagem que viu na televisão de um brasileiro com moradia modesta, trazendo soluções para economizar luz, e em seguida a imagem de um dirigente de uma indústria, dizendo que teria que demitir funcionários. Para o ministro, o povo dá o maior exemplo de como administrar e sair da crise. "Acho que não há razão para esse clima de pré-desespero, de sofrimento antes da hora", afirmou Gregori.Ele disse que vai se reunir novamente com secretários de segurança dos 27 Estados e com o chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Alberto Cardoso, para discutir o impacto do racionamento de energia na segurança pública. Gregori informou que na reunião anterior teve a garantia do ministro de Minas e Energia, José Jorge, de que os cortes acontecerão quando "o sol dominar a natureza" e que à medida que os problemas forem surgindo as soluções serão apresentadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.