Gregori anuncia assistência para policiais

O ministro da Justiça, José Gregori, anunciou que o governo federal vai criar, em 2002, programas de habitação, saúde e educação para policiais. A idéia é destinar a essas ações pelo menos 15% do Fundo Nacional de Segurança Pública, o que corresponderia a R$ 75 milhões. "Queremos agora ter uma atenção maior para o homem e a mulher de polícia", afirmou o ministro. Segundo ele, os benefícios não serão concedidos a Estados onde houver greve de policiais. "Se houver greve, aí não tem mais diálogo", ressaltou. No caso da habitação, o governo deverá subsidiar os juros num programa de compra da casa própria. Gregori reafirmou que o governo não vai liberar recursos para o pagamento de salários dos policiais. O anúncio das medidas foi feito após reunião do ministro com professores da USP e pesquisadores na área de segurança pública, além do ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Alberto Cardoso. Gregori tem conversado com lideranças policiais, estudiosos da violência e comandantes para preparação da reunião de amanhã do presidente Fernando Henrique Cardoso e dez governadores, sobre a crise nas polícias. Gregori disse ser contrário à concessão do poder de polícia para as Forças Armadas, prevista em medida provisória a ser editada pelo governo, para fortalecer a atuação do Exército em momentos de crise, decorrente de greve de policiais nos Estados. Segundo o ministro, essa prerrogativa não é necessária. "A função do Exército é atender emergências", disse ele. Mas, apesar de ser contrário à medida, Gregori lembrou que militares envolvidos em operação do Exército, no Rio de Janeiro, em 1997, ainda são alvo de ações judiciais, pelo fato de a legislação não prever a ação policial das Forças Armadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.