Twitter/Reprodução
Twitter/Reprodução

Greenwald ironiza 'culpa' por cancelamento de viagem oficial

Jornalista que denunciou espionagem do governo americano sobre Dilma e a Petrobras comentou no Twitter o cancelamento da viagem oficial da presidente do Brasil aos EUA

Alexandre Bazzan, Especial para O Estado de S. Paulo

17 de setembro de 2013 | 20h48

Glenn Greenwald, colunista do jornal “The Guardian” da Inglaterra, compartilhou a notícia do o cancelamento da viagem de Estado de Dilma Rousseff a Washington em sua conta de Twitter. O jornalista ironizou a possibilidade de a responsabilidade pela crise recair sobre ele. “Eles parecem pensar que eu coletei milhões de e-mails e ligações dos brasileiros e encaminhei para Dilma e Petrobrás”, disse.

O comentário foi feito depois que um internauta disse que “em algum lugar, alguém está culpando Greenlwald, não a espionagem".

Greenwald obteve documentos que mostravam que Petrobrás e Dilma eram monitorados pela Agência de Segurança Nacional (NSA, em inglês). A espionagem provocou crise diplomática entre os países, e culminou com o cancelamento do encontro dos chefes de Estado que estava marcado para outubro.

O presidente Barack Obama justificou as explicações inconsistentes afirmando que esse tipo de apuração pode tomar meses. Apesar disso, os dois chefes de Estado devem se encontrar ainda neste ano na Assembleia Geral da ONU, na qual fará discurso no dia 24 de setembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.