Greenpeace picha navio no Rio Grande do Sul

Um grupo de ativistas do Greenpeace invadiu o navio Saturn V, nesta terça-feira, no porto de Rio Grande, para uma ação que denominou de ?inspeção de biossegurança?. Como o comandante não mostrou documentos da carga de 58 mil toneladas de farelo de soja destinadas à Coréia do Sul, os ecologistas pintaram a palavra ?transgênico? no casco da embarcação e partiram em dois botes. Chamados por funcionários do terminal de embarque, policiais federais e guardas portuários acompanharam os atos. Não houve conflito. Os dez militantes do Greenpeace chegaram nos botes e se dividiram. Seis ficaram no cais e quatro subiram ao navio para pedir comprovantes de que a carga não era transgênica. Sem resposta, decidiram deixar a identificação da cargo no casco.?O Greenpeace está aqui defendendo o direito do consumidor de saber o que está comendo e de dizer não aos transgênicos?, informou a coordenadora da campanha de Engenharia Genética do Greenpeace, Mariana Paoli. ?A falta de identificação desrespeita o direito do consumidor brasileiro e de todo o mundo?, afirmou. Integrantes da organização não governamental informaram que a ação marcou o início da expedição ?Brasil Melhor Sem Transgênicos?, que fazem a bordo do navio Arctic Sunrise.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.