Greenpeace faz campanha contra substâncias tóxicas em produtos de limpeza

A organização ambientalista Greenpeace lançou a campanha "Veneno Doméstico", com o objetivo de detectar as substâncias tóxicas em produtos usados para limpeza e higiene doméstica. Na primeira fase, foram selecionadas 60 casas nos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, onde serão feitas coletas. As amostras serão analisadas pelo laboratório holandês TNO. "A campanha pretende alertar a população e os consumidores sobre o descontrole por parte da indústria e do governo sobre as substâncias químicas e a contínua contaminação ocasionada por essa situação. Estamos nos contaminando diariamente dentro de nossas próprias casas sem saber", afirma o coordenador da Campanha de Substâncias Tóxicas do Greenpeace, John Butcher. Quando estiver com os resultados das análises em mãos, a ONG pedirá que as indústrias apliquem o "princípio da substituição", que prevê o uso de substâncias não tóxicas no lugar das que são consideradas perigosas ou venenosas. Na Europa, escritórios do Greenpeace coletaram amostras de poeira doméstica em residências do Reino Unido, França, Espanha, Dinamarca, Suécia e Finlândia. As análises, segundo a ONG, revelaram quantidades significativas de alcalinofenóis, ésterftalatos, substâncias químicas bromadas, parafinas cloradas e componentes químicos à base de estanho, entre outros.

Agencia Estado,

23 Outubro 2003 | 01h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.