Graziano diz que metas do Fome Zero serão antecipadas

As metas do Programa Fome Zero para este ano serão antecipadas, garantiu o ministro Extraordinário de Segurança Alimentar, José Graziano. "As mil cidades que pretendíamos atender até o fim do ano já serão atendidas até outubro", garantiu, após reunir-se com a direção da Telefónica, em São Paulo, onde entregou um certificado de "Empresa Participante do Fome Zero". Até junho, segundo o ministro, 650 municípios brasileiros já foram incluídos no programa, com o benefício para 148 mil pessoas. "A antecipação das metas é possível graças a participação da rede de solidariedade, com atuação forte da sociedade civil, igrejas e sindicatos", avaliou. Graziano disse que após concentrar-se em sua primeira etapa nas regiões semi-áridas do País, em especial no Nordeste, o programa a partir de agora deve voltar-se para a região amazônica, principalmente no Estado do Acre. "Essa nova etapa exigirá uma estrutura nova, totalmente diferente", ressaltou.O ministro também vinculou a demora da aparição dos primeiros resultados do programa à necessidade de estruturação do projeto. "O Fome Zero parece ser algo simples, mas programas como esse demoram para ser construídos. É o caso, por exemplo, da criação de uma central telefônica de 0800 que possa atender do Iapoque (AP) ao Chuí (RS) pelo mesmo número e permitindo darmos uma mesma resposta. Precisamos de 45 dias apenas para montarmos a central telefônica e o mesmo tempo para qualificarmos os atendentes", citou ele ao informar que o País possui hoje 900 pontos de atendimento. Graziano deixou na tarde desta segunda-feira a sede da Telefónica e seguiu para Brasília, onde vai se encontrar com uma delegação italiana que pretende apoiar o Fome Zero.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.