Gravação de conversa abre crise no governo Yeda, no RS

Busatto faria insinuações sobre o financiamento de campanhas eleitorais com o uso de estatais e autarquias

SANDRA HAHN E ELDER OGLIARI, Agencia Estado

06 de junho de 2008 | 18h55

A divulgação de uma conversa gravada entre o vice-governador do Rio Grande do Sul, Paulo Afonso Feijó (DEM), e o chefe da Casa Civil, Cézar Busatto (PPS), nesta sexta-feira, 6, colocou a governadora Yeda Crusius (PSDB) em sua pior crise política desde a posse. Na conversa, Busatto faria insinuações, de acordo com a transcrição do dialogo, sobre o financiamento de campanhas eleitorais com o uso de estatais e autarquias do governo.O dialogo foi gravado pelo próprio vice-governador e divulgado pelo presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Fabiano Pereira (PT). Como o áudio é de difícil compreensão o deputado fez a leitura de transcrição da conversa. "Todos os governadores só chegaram aí com fontes de financiamento, ou do Detran ou do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer)", teria dito Busatto, de acordo com a transcrição.O Chefe da Casa Civil prometeu dar entrevista após a apresentação do diálogo, mas isso ainda não aconteceu. Depois da leitura das transcrições, alguns estudantes tentaram entrar no Plenarinho da Assembléia (onde foi apresentado o áudio) com gritos de protesto contra o governo. Eles foram impedidos de entrar, pelos seguranças. O presidente da CPI negociou o acesso deles ao local onde acompanharam os debates dos deputados. Um grupo de manifestantes se instalou em frente à porta de entrada do Palácio Piratini, que foi fechada.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio Grande do SulYeda Crusius

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.