Grandes jornais lançam pacote nacional

Uma só autorização, um só material e uma única fatura. É isso o que promete, a partir de amanhã, a rede que reúne cinco dos maiores e mais influentes jornais do País - O Estado de S. Paulo, O Globo, Estado de Minas, Zero Hora e Correio Braziliense - aos seus anunciantes das edições dominicais.Ao preço fixo, e sem desconto, de R$ 220 mil, o anunciante poderá optar por um espaço de 8 colunas e 26 cm - o tamanho de uma página dupla no formato revista - nos primeiros cadernos dos jornais, aqueles que contemplam o noticiário de economia, política, geral, internacional e cidades, ou por página dupla nos segundos cadernos, os de cultura, desses cinco jornais. Em ambos os casos, o anúncio terá quatro cores e aquele que optar por página dupla, terá que enviar um formato de 51,2 cm por 34 cm para veiculação no Zero Hora, único do grupo impresso em formato tablóide, que equivale, por exemplo, a uma página inteira dobrada de jornais como o Estado.Segundo o diretor comercial do Estado, Roberto Mesquita, a idéia é ter inicialmente oito anúncios mensais, veiculados simultaneamente nos cinco jornais, um de cada formato. O espaço poderá, porém, ser ampliadopara atender aos anunciantes que optarem pelo formato intitulado Anúncio Brasil, a megacobertura de jornal do País. Nesse projeto conjunto de jornais que cobrem uma região com economia equivalente a 67% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro - a soma de todos os bens e serviços produzidos no período de um ano -, foram investidos R$ 4 milhões, dos quais R$ 2,5 milhões em publicidade, criada pela Talent, que começa a ser veiculada esta semana.Amanhã, por exemplo, o projeto será apresentado em café da manhã simultâneo nas cinco capitais cobertas por esses jornais - São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Porto Alegre e Brasília - aos profissionais de mídia, aqueles que escolhem para o anunciante em qual veículo falar mais de perto com seu público. A intenção, afirma o diretor de Mercado da Infoglobo, empresa que edita O Globo, José Padilha Gonçalves, é oferecer uma veiculação de fato nacional aos anunciantes. E vai mais longe: "Seria falso afirmarmos queexiste um veículo jornal realmente nacional, o que temos são veículos influentes nas importantes regiões, com penetração em outras praças, e, por isso, influentes no País." Somados, esses jornais chegam a umaimpressionante tiragem de 1.325.701 exemplares aos domingo, segundo o Instituto Verificador de Circulação (IVC), com circulação nos cinco estados onde se situam de 1.295.312, ou seja 82% acima da revista de maior circulação do País nessas cinco regiões e 19% a mais que a mesma revista líder de mercado na comparação nacional. O público atingido pela publicação é de 4,087 milhões de pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.