Grampo indica que Paulínia iria pagar R$ 2,3 milhões

Escutas telefônicas feitas pela polícia mostraram que o grupo de empresas investigado manteria contatos com a Prefeitura de Paulínia, administrada pelo PMDB, na região de Campinas. Uma advogada ligada à Home Care conversa com o sócio de outra empresa sob suspeita e revela que o grupo deveria receber R$ 2,3 milhões da administração. "Você acha que até o fim da semana a gente recebe isso aí de Paulínia?", indaga ele. A advogada responde que sim. Dois advogados estão sendo investigados no caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.