Grampo gera nova crise institucional no Brasil, diz 'El País'

Escuta a membros do Supremo e do Parlamento teria provocado crise.

Da BBC Brasil, BBC

01 de setembro de 2008 | 07h15

A denúncia publicada pela revista Veja desta semana, que afirma que o presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, e o senador Demóstenes Torres foram submetidos a escutas telefônicas nas últimas semanas causou uma "nova crise institucional" no Brasil, segundo reportagem publicada nesta segunda-feira pelo jornal espanhol El País.Com o título "Um caso de espionagem agita de novo as instituições do Brasil", o jornal comenta a reportagem e afirma que o presidente Luís Inácio Lula da Silva prometeu investigar as denúncias de grampo, que teria sido realizado pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin)."De fato, Mendes cancelou uma viagem à Coreia do Sul a espera de que Lula ofereça explicações, e Demóstenes considerou gravíssimo o fato de que os serviços secretos espionem membros de órgãos independentes do Estado como o Supremo e o Congresso", diz o jornal."Ao que parece, também foram espionados a ministra da Presidência da República, Dilma Rousseff, que alguns consideram a pessoa que Lula apoiará como candidata à presidência, e o próprio chefe do gabinete de Lula, Gilberto Carvalho", afirma o El País.O diário espanhol explica que as suspeitas recaem sobre um grupo hostil a Lula dentro da própria Presidência, e que Lula teria classificado as escutas ilegais de "inaceitáveis" e "gravíssima violação do direito de comunicação".A Abin nega as acusações e a Polícia Federal prometeu investigar, destaca o El País. "No entanto, há tempos que se denunciavam casos de escutas telefônicas ilegais a políticos, juízes e ministros."Calcula-se que mais de meio milhão de brasileiros tenham seu telefone controlado, e, por conta disso, algumas pessoas já haviam pedido uma lei mais severa para lidar com o problema; entre outras coisas, exigem que a polícia só possa praticar escutas telefônicas com fins judiciais com uma ordem judicial explícita", diz o jornal espanhol.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.